BNDES emprestará R$ 5,8 bi à Logum Logística

O empréstimo-ponte de R$ 1,7 bilhão, liberado hoje, será debitado da primeira parcela do empréstimo total à empresa criada em março e especializada em transporte de etanol

Irany tereza, da Agência Estado,

29 de setembro de 2011 | 17h25

O financiamento total que o BNDES analisa para projeto da Logum Logística é de R$ 5,8 bilhões, informou há pouco o gerente do Departamento de Logística da área de Infraestrutura do banco de fomento, Leonardo de Almeida.

De acordo com ele, o empréstimo-ponte de R$ 1,7 bilhão, liberado hoje, será debitado da primeira parcela do empréstimo total, que está sendo avaliado em modelo de project finance. No primeiro semestre de 2012 o BNDES deve concluir a estruturação e aprovação do financiamento do projeto, que inclui a construção de dutos e hidrovias e tem investimento total orçado em R$ 6,5 bilhões, dos quais quase 90% financiados pelo banco de fomento.

Criada em março deste ano, a empresa de logística para transporte de etanol é uma parceria da Petrobras com Copersucar, Cosan, OTP (Odebrecht), Uniduto e Camargo Corrêa. Em nota, o BNDES informou que os recursos serão utilizados na implantação de um duto para o transporte de etanol e na instalação de centros coletores do produto.

"Em projetos de infraestrutura, que são de longo prazo, é comum o BNDES liberar primeiro um empréstimo-ponte, para permitir o início do andamento da obra enquanto os trabalhos de análise e estruturação do financiamento estão sendo feitos", disse Almeida. Ele lembrou que o setor de etanol tem crescido substancialmente no País e o banco tem apoiado o incremento, para fortalecer a vantagem competitiva do setor. 

Segundo o banco, o sistema logístico de transporte de etanol a ser implantado faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e contempla 1.330 km de dutos, com capacidade de transporte de 20,8 milhões de metros cúbicos por ano e dez terminais de armazenamento de etanol.

O sistema vai interligar as principais regiões produtoras de etanol (São Paulo, Goiás, Triângulo Mineiro, sul e sudeste de Mato Grosso do Sul e norte do Paraná) aos centros consumidores da Grande São Paulo e do Rio, e aos terminais marítimos de Ilha D''Água (RJ) e Caraguatatuba (SP), para exportação e/ou cabotagem do etanol para os demais centros consumidores do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.