BNDES está preparado para financiar aeroportos, diz Coutinho

Segundo o presidente do banco, BNDES tem orçamento para custear projeto, por isso não será necessária a criação de linhas específicas de financiamento

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

20 de outubro de 2011 | 13h59

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta quinta-feira, 20, em uma rápida conversa com jornalistas, que confirma que a instituição está preparada para financiar a estrutura aeroportuária brasileira, conforme antecipou a Agência Estado em 30 de setembro. Coutinho reiterou que não será necessária a criação de linhas específicas para esse tipo de financiamento porque o BNDES tem orçamento para custear os projetos mais carentes de infraestrutura, que incluem os aeroportos.

"O setor aeroportuário é um grande gargalo, urgente, e demanda investimentos. Foi o que moveu toda essa nossa estratégia de associação em novas concessões do setor privado com a Infraero para acelerar os investimentos", disse, após participar do seminário "As Oportunidades da Indústria de Defesa e a Segurança para o Brasil e a Região do ABC", promovido pela prefeitura de São Bernardo do Campo.

Perguntado sobre qual seria o porcentual do financiamento para privatização dos terminais de Brasília, Viracopos (Campinas) e Guarulhos (Cumbica), Coutinho preferiu não cravar um número. De acordo com ele, nos projetos de infraestrutura, o BNDES, em geral, financia de 50% a 70%. "Não tem um número para te dar porque isso dependerá de caso a caso nas negociações, porque às vezes, uns grupos preferem se alavancar menos e outros mais, dependendo das suas estratégias. Portanto não podemos fixar um porcentual", disse.

Ele acrescentou que, por acreditar que os consórcios a serem formados em torno dos projetos aeroportuários serão qualificados, isso vai assegurar ao BNDES tranquilidade no processo de concessão.

Tudo o que sabemos sobre:
AEROPORTOSFINANCIAMENTOSBNDESCOUTINHO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.