BNDES executa empréstimo da OSX e Banco Votorantim assume a dívida

Financiamento de R$ 548 milhões concedido à empresa de construção naval do grupo EBX venceu na última sexta-feira, após ter sido prorrogado por duas vezes 

Irany Tereza e Mariana Durão, O Estado de S. Paulo

18 de novembro de 2013 | 22h13

O empréstimo ponte de R$ 548 milhões concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) à OSX, empresa de construção naval do grupo EBX, de Eike Batista, venceu na última sexta-feira e foi executado pelo banco estatal, segundo fontes que acompanham o processo.

O banco Votorantim, que concedeu fiança bancária ao empréstimo, já teria honrado o pagamento. A instituição se transforma, assim, em credor da empresa, que no último dia 11 formalizou pedido de recuperação judicial, assumindo um passivo de R$ 4,5 bilhões.

Financiamento. O empréstimo do BNDES, concedido para as obras no estaleiro de Eike no Porto do Açu, em São João da Barra, no Rio, venceu inicialmente em agosto, e já havia sido prorrogado duas vezes, para outubro e novembro. Fazia parte de um financiamento maior, de longo prazo, que foi suspenso.

O Votorantim - que registrou prejuízo de R$ 159 milhões no terceiro trimestre - vai provisionar a dívida em seu balanço financeiro do quarto trimestre.

De acordo com fontes ligadas ao banco, não há grande preocupação acerca de um eventual calote de Eike por dois motivos: no caso da OSX, há ativos suficientes para fazer caixa e honrar todo o passivo, e a dívida representa menos de 1% dos ativos totais do banco.

A empresa de construção naval tem quatro plataformas, pretende vender três delas e uma será alocada no campo de Tubarão Martelo, última aposta de Eike de encontrar petróleo em volume suficiente para evitar a falência da combalida OGX.

Santander. Nesta segunda-feira, Jesús Zabalza, presidente do Santander Brasil, que também integra o grupo de bancos credores das empresas X, foi sucinto ao ser indagado sobre a exposição às dívidas do conglomerado. "Nós não falamos nunca de clientes. A exposição é bem pequena. É inexpressiva para o capital do Santander", disse a jornalistas, após participar do lançamento do III Encontro Internacional de Reitores Universia, apoiado pela instituição, no Rio de Janeiro.

O executivo afirmou que até agora "nenhuma" garantia dada por meio de fiança bancária a empréstimos do grupo EBX, do empresário Eike Batista, foi executada. No último dia 5, o Santander garantiu a renovação de um empréstimo-ponte de R$ 461,4 milhões do estaleiro da OSX no porto do Açu, em São João da Barra (RJ).

O empréstimo é da Caixa Econômica Federal e foi rolado por 12 meses, a partir de 19 de outubro. A OSX estava também tentando adiamento por um ano com o BNDES, mas não conseguiu. Nem o BNDES nem o Votorantim se manifestaram sobre o assunto.

OGX. Está mais próxima uma decisão judicial sobre o pedido de recuperação da OGX. A petroleira entregou no fim da semana passada os documentos pendentes para a análise da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. O Ministério Público (MP) apontou, em parecer sobre o caso, a ausência da demonstração de resultados acumulados dos últimos três anos e do relatório de fluxo de caixa e sua projeção, como exige a Lei de Falências e Recuperação de Empresas.

Agora o juiz Gilberto Clovis Farias Matos está munido de toda a documentação necessária para decidir se aceita ou não o processo. / COLABOROU: VINICIUS NEDER

Tudo o que sabemos sobre:
Eike Batista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.