BNDES libera R$ 53,8 milhões para a Caramuru Alimentos

Rio, 28 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 53,8 milhões para a Caramuru Alimentos Ltda, que usará os recursos para implantar unidade de processamento de soja, infra-estrutura de recebimento, secagem e armazenamento de grãos no município de Ipameri (GO). Segundo o BNDES, o empreendimento aumentará a capacidade de processamento de soja da empresa de 3.500 para 6.500 toneladas por dia e abrirá 200 empregos diretos. "O projeto prevê a implantação de unidade de recebimento de grãos com capacidade estática de 120 mil toneladas, 400 toneladas por hora para descarga e 250 toneladas por hora de capacidade de secagem; unidade de processamento de 3 mil toneladas por dia de soja; e unidade para armazenar 10 mil toneladas de óleo bruto", detalhou o banco, em comunicado. Na avaliação do banco, o projeto afetará positivamente a produção agrícola local graças à política de fornecimento de insumos ao agricultor, por parte da Caramuru, em processo coordenado por técnicos e engenheiros agrônomos, responsáveis pelo repasse de novas técnicas de produção. "O escoamento ferroviário da produção poderá ter como destino Araguari (MG) e Vitória (ES), por meio da malha da Ferrovia Centro-Atlântica (da MRS), ou Porto de Santos, passando por Uberlândia (MG) por meio da Ferroban", informou o BNDES. De acordo com informações apuradas pelo banco, o Grupo Caramuru iniciou as atividades em 1964, com processamento de milho, em Maringá (PR) e possui atualmente capacidade de processar 1,2 milhão de toneladas de soja e cerca de 450 mil toneladas de milho por ano, além de comercializar mensalmente mais de 30 milhões de unidades de produtos no mercado brasileiro com a marca Sinhá.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2004 | 16h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.