BNDES libera R$1,2 bi para Brenco, presidida por Reichstul

A Brazil Renewable EnergyCompany (Brenco), empresa de etanol comandada peloex-presidente da Petrobras Henri Philippe Reichstul, obteve doBNDES financiamento de 1,2 bilhão de reais para implantarquatro unidades de processamento de cana-de-açúcar e lavoura. O projeto, conhecido como Pólo de Alto Taquari-Mineiros,será implantado nos municípios de Alto Taquari (MT), Costa Rica(MS) e Mineiros (GO),informou o Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social na quarta-feira. Duas das quatro unidades estão previstas para entrar emoperação em 2009 e duas outras em 2010. Ao todo, as unidadesterão capacidade instalada de moagem de 15 milhões de toneladasde cana-de-açúcar por safra e produção de 1,4 milhão de metroscúbicos de etanol. Além disso, poderão vender ao mercado até220 megawatts de energia elétrica. No total, o projeto está avaliado em 1,8 bilhão de reais,informou o banco. O BNDES destacou ainda que a Brenco vai adquirir 880milhões de reais em equipamentos nacionais e vai gerar 8,4 milempregos. O empreendimento terá 100 por cento da colheitamecanizada. "Além disso, o empreendimento envolve a construção dasunidades em áreas de nova fronteira da cana e com produção emlarga escala", destacou o banco em nota. A procura de crédito para o setor sucroalcooleiro no BNDESvem aumentando gradativamente e totalizava 10 bilhões de reaisde 2004 até julho de 2008. Em 2004, a demanda foi de 600 milhões de reais, subindopara 3,6 bilhões de reais em 2007 e acumulando 2,7 bilhões dereais em 2008 até julho, total já superior ao montantefinanciado em 2006 (2,6 bilhões de reais). (Reportagem de Denise Luna; Edição de Roberto Samora)

REUTERS

13 de agosto de 2008 | 17h21

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIABRENCO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.