BNDES prevê investimentos de R$381 bi no setor de petróleo e gás do Brasil de 2015 a 2017

Os investimentos no setor de petróleo e gás devem crescer 46 por cento no Brasil entre 2015 e 2017, frente 2011 e 2013, para 381 bilhões de reais, previu nesta quinta-feira o diretor das áreas de planejamento, pesquisa e acompanhamento econômico e gestão de riscos do BNDES, João Carlos Ferraz.

REUTERS

18 de setembro de 2014 | 21h03

O executivo do banco estatal de fomento disse que os investimentos em óleo e gás nos próximos dois anos vão representar entre 12 por cento e 14 por cento da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF).

Segundo Ferraz?, ao avaliar investimentos, o BNDES irá priorizar aportes direcionados a inovação e desenvolvimento de tecnologia.

"A qualidade desse?s investimento?s fará diferença?", disse durante palestra em evento de petróleo no Rio de Janeiro, o Rio Oil&Gas. ?"O ?BNDES continuará a ser relevante.?"

O professor do Institu?to de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Edmar Almeida, também presente no evento, destacou a importância de encontrar meios para que empresas brasileiras de petróleo privadas tenham capacidade financeira para realizar seus projetos.

Segundo ele, após a crise que abateu a petroleira OGX de Eike Batista, rebatizada de Óleo e Gás Participações e em processo de recuperação judicial, as empresas brasileiras do setor têm encontrado dificuldades de obter novos aportes.

?"Com a crise da OGX o mercado fechou, muitos fundos não querem investir mais?", afirmou o professor.

"A principal fonte de recursos hoje é venda de ativos?", disse. "Estamos assistindo empresas de capital nacional vendendo ativos para se financiar.?"

Recentemente a petroleira HRT Participações reduziu sua participação nos blocos Solimões, na Amazônia, para 49 por cento, deixando a parceira russa Rosneft Oil como operadora da joint venture.

Ele destacou que essas empresas brasileiras hoje têm um papel muito importante para a exploração em terra no Brasil.  

(Por Marta Nogueira; l)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROLEOINVESTIMENTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.