Boeing mantém entrega do primeiro 787 para maio, diz executivo

A Boeing enfrenta "riscos de entrega"de seu novo modelo 787 Dreamliner, mas a companhia se mantém nocronograma para entregar a primeira unidade do jato por voltade maio, informou o vice-presidente de finanças, James Bell,nesta segunda-feira. A Boeing, que compete com a Airbus pelo título de maiorfabricante de aviões do mundo, adiou este mês o primeiro vôo deteste do 787 para entre meados de novembro e de dezembro,colocando mais pressão sobre o cronograma de testes apertado dacompanhia. A Boeing atribuiu os atrasos a problemas na programação dosoftware de controle de vôo e a uma falta de cavilhas. Apesardas complicações, entretanto, Bell disse que a companhia poderácumprir o prazo de entrega. "Agora mesmo estamos trabalhando no plano que apóia aentrega de maio", disse o executivo em uma webconferênciapromovida pelo Bank of America. A Boeing tem afirmado que o atraso de novembro paradezembro não afeta suas previsões financeiras. Se o 787 voar em meados de novembro, a companhia teráapenas seis meses para completar os testes de vôo do avião e oprograma de certificação. A companhia levou 11 meses paraconduzir os testes de vôo do 777, o último modelo de jatocomercial da Boeing. As ações da Boeing operavam em queda de 0,91 por centonesta tarde, cotadas a 98,45 dólares. No mesmo horário, a bolsade Nova York recuava 0,25 por cento.

REUTERS

17 de setembro de 2007 | 15h00

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASBOEINGENTREGA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.