Boeing prevê demanda de 35 mil aeronaves em 20 anos

A Boeing anuncia previsão de demanda de 35,280 mil novas aeronaves no mercado global para os próximos 20 anos, no valor de US$ 4,8 trilhões. De acordo com o documento sobre sua perspectiva de mercado, chamado Current Market Outlook (CMO), divulgado nesta terça-feira, 11, pela empresa, a frota mundial dobrará nas próximas duas décadas. A previsão da empresa é de que tanto o tráfego de passageiros quanto o de carga deve crescer 5% anualmente.

AE, Agencia Estado

11 de junho de 2013 | 08h41

Conforme o vice-presidente de marketing da Boeing Commercial Airplanes, Randy Tinseth, as companhias aéreas estão exigindo mais eficiência e os modelos de corredor único têm maior demanda. A Boeing atua nesse nicho com o 737 Next-Generation e o futuro 737 MAX. Esse segmento demandará, de acordo com a previsão da Boeing, 24.670 novas aeronaves, com valor de US$ 2,290 trilhões, na esteira do crescimento das aéreas de baixo custo e das companhias de mercados emergentes.

Já as aeronaves amplas, como os modelos 747-8, 777 e 787 Dreamliner, deverão ter 8.590 encomendas nos próximos 20 anos, pela modernização de frotas das companhias e busca por maior eficiência energética. Para jatos regionais, a projeção é de cerca de 2 mil unidades, com valor de US$ 80 bilhões.

Por região geográfica, a maior parte das entregas deve ocorrer na Ásia-Pacífico, que inclui a China, com 12,820 mil aeronaves previstas até 2032. América Latina fica em quarto lugar, com 2,9 mil, atrás de Europa (7,460 mil) e América do Norte (7,250 mil).

Tudo o que sabemos sobre:
Boeingdemanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.