Boi: rastreabilidade passa a ser voluntária, anuncia Rodrigues

Brasília, 2 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, afirmou hoje que a adesão dos pecuaristas ao Sistema Brasileiro de Identificação de Origem Bovina e Bubalina (Sisbov) deixa de ser obrigatória e passa a ser voluntária a partir desta quinta-feira. A decisão foi tomada pelo ministro em reunião com representantes da cadeia produtiva de carne bovina e com parlamentares. Rodrigues comentou que a partir de agora os frigoríficos exportadores terão que buscar no mercado animais rastreados. Outra decisão da reunião de hoje foi a de enviar uma missão técnica à Europa para discutir regras que determinam a necessidade do rastreamento para compra de animais. A expectativa, disse o ministro, é de que essa missão seja formada por representantes do governo e da iniciativa privada. Também será criado um grupo de trabalho que irá ao Paraná para verificar in loco o processo que permite acoplar informações do Sisbov a guia de trânsito animal (GTA), documento sanitário que permite o movimento de animais. De acordo com Rodrigues, o Ministério sempre defendeu a fusão entre os dois documentos, e o governo do Paraná conseguiu colocar essa idéia na prática, por isto o grupo visitará o Estado. Rodrigues disse ainda que agora o grupo de trabalho sobre rastreabilidade animal, criado pelo Ministério, vai avaliar proposta para que o sistema deixe de ser individual e passe a ser feito por lote ou propriedade. Ele disse que os pecuaristas que já aderiram ao sistema não terão prejuízo. O raciocínio do governo é que agora os frigoríficos exportadores terão que pagar um prêmio pelos animais rastreados, o que compensará os custos adicionais dos pecuaristas. "Eu sempre defendi que a rastreabilidade teria que ser um bônus para o pecuarista, e não um ônus", comentou o ministro.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.