Bolívia,Argentina e Brasil saem de reunião sobre gás sem acordo

Argentina, Brasil e Bolívia nãoconseguiram achar a uma solução nesse sábado para a delicadasituação energética que atravessam as maiores economias daAmérica do Sul, e decidiram realizar mais reuniões no futuro. A presidente argentina, Cristina Krichner, recebeu nestesábado em sua residência o presidente brasileiro, Luiz InácioLula da Siva, e boliviano, Evo Morales. A Bolívia é o maior provedor de gás para os outros doispaíses, mas a sua oferta atualmente não é suficiente para ospicos da demanda. Kirchner pede que o Brasil repasse parte do gás que consomepara a Argentina, mais não conseguiu um acordo. "Em dez dias se reunirão em La Paz os ministros da Energiapara buscar uma solução", disse a repórteres José SergioGabrielli, presidente da Petrobras, que estava na reunião comos presidentes. Gabrielli já afirmou por diversas vezes que a Petrobras nãovai abrir mão de nenhum volume de gás para abastecer o mercadoargentino. O contrato entre o Brasil e o país vizinho foiassinado em 1999 e consiste na entrega de 30 milhões demétricos cúbicos por dia ao mercado brasileiro. (Reportagem de Walter Bianchi)

REUTERS

23 de fevereiro de 2008 | 15h08

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAARGENTINAGAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.