Bolívia diz que Argentina é 3a prioridade nas vendas de gás

A Bolívia informou nesta segunda-feiraque a Argentina é a terceira prioridade para seus envios de gásnatural, depois do mercado interno e do Brasil, segundocontratos assinados e que estão vigentes atualmente. O ministro boliviano de Hidrocarbonetos, Carlos Villegas,afirmou em Santiago que a ordem das prioridades para a Bolíviamudará gradualmente à medida que forem realizados maisinvestimentos no setor energético do país. "Não há uma prioridade deliberada, e sim que os contratosestabelecidos atualmente afirmam tanto ao Brasil quanto àArgentina que a principal prioridade é o mercado interno, asegunda é o Brasil e a terceira é a Argentina", garantiuVillegas. "O governo argentino sabe disso com exatidão. Conversamosna semana passada, e em 7 de dezembro voltamos a nos reunir emSanta Cruz para ratificar o que diz o contrato entre Bolívia eArgentina", acrescentou o ministro. A Bolívia possui a segunda maior reserva de gás natural daAmérica do Sul, atrás apenas da Venezuela, e é a maiorexportadora de gás da região. O país vende cerca de 7,7 milhõesde metros cúbicos diários de gás para a Argentina e 30 milhõespara o Brasil. As exportações de gás ao Brasil e à Argentina e a crescentedemanda interna colocaram no limite a indústria boliviana dehidrocarbonetos, cuja capacidade atual de produção está em 45milhões de metros cúbicos diários, segundo dados do governo. O presidente boliviano, Evo Morales, nacionalizou o setorde hidrocarbonetos em maio de 2006 e negocia agora grandesinvestimentos com petrolíferas estrangeiras para atendercompromissos já assumidos, como o bombeamento de até 27,7milhões de metros cúbicos de gás para a Argentina na próximadécada. (Por Mónica Vargas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.