Bolsas asiáticas abrem em alta e Japão injeta US$ 8,695 bilhões

No início do pregão, índice Nikkei operava em alta de 2,5% e o Topix, 3,45%

Efe,

20 de agosto de 2007 | 01h04

As bolsas asiáticas recuperam nesta segunda-feira parte do terreno perdido na última sexta-feira, graças a intervenção realizada pelo FED. O Banco do Japão mais uma vez injetou nesta segunda-feira, 20, ¥ 1 trilhão (US$ 8,695 bilhões) no mercado financeiro para atenuar os problemas de falta de liquidez derivados da crise hipotecária nos Estados Unidos, informou a agência local Kyodo. O índice Nikkei da Bolsa de Tóquio operava nos primeiros minutos do pregão em alta de 382,64 pontos (2,50%), aos 15.656,32. O segundo indicador, o Topix, que reúne todos os valores da primeira seção, ganhava 51,09 pontos (3,45%), para 1.531,48. A injeção realizada nesta segunda é a terceira contribuição da autoridade monetária japonesa nos últimos três dias úteis e a quinta dos últimos dez dias. O BOJ interveio no mercado esta manhã, após detectar que as taxas de juros se encontravam em torno de 0,56%, acima de seu objetivo, de 0,5%. No total, o BOJ injetou no mercado US$ 36,520 bilhões nos últimos dez dias, com o objetivo de dissipar as crescentes dúvidas dos investidores sobre a liquidez dos mercados internacionais diante da crise hipotecária dos Estados Unidos. Outras bolsas asiáticas As outras bolsas asiáticas seguiram a japonesa e também abriram em alta. O índice Hang Seng da Bolsa de Hong Kong operava nos primeiros minutos em alta de 753,6 pontos (3,7%), para 21.140,73. Taipé abriu em alta de 5,03%. Em Sydney, a alta foi de 2,55%, em Xangai era de 2,32%, Cingapura subiu 3,84% e Kuala Lumpur uns 2,34%. A Bolsa de Manila não funciona nesta segunda-feira, porque é feriado nas Filipinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.