Bolsas dos EUA encerram pior trimestre desde crise de 2008

Os principais índices do mercado acionário norte-americano tiveram o pior trimestre desde os momentos mais agudos da crise financeira de 2008, afetados pelo desastre da crise da dívida da Europa, pelo rebaixamento da nota do crédito dos Estados Unidos e pela desaceleração da economia global.

EDWARD KRUDY, REUTERS

30 de setembro de 2011 | 18h51

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 2,16 por cento, para 10.913 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 2,63 por cento, para 2.415 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 2,50 por cento, para 1.131 pontos.

No trimestre, o Dow Jones caiu 12,1 por cento, o S&P teve perda de 14,3 por cento e o Nasdaq recuou 12,9 por cento. Já no acumulado do mês, o quinto seguido vermelho, o Dow Jones recuou 6 por cento, o S&P 500 cedeu 7,2 por cento e o Nasdaq teve desvalorização de 6,4 por cento.

Dados econômicos fracos da China motivaram temores de uma desaceleração econômica mundial, enquanto a ação do banco de investimentos Morgan Stanley desabou com preocupações sobre sua exposição a bancos europeus.

"Por que o mercado está tão fraco? Porque 2008 ainda está fresco na memória das pessoas", disse o operador sênior na Knight Capital, Joseph Mazzella.

O mercado acionário tem sido golpeado pela ameaça de uma desaceleração e temores de que um default da dívida grega incite um choque no crédito similar ao causado pelo Lehman Brothers em setembro de 2008.

Temores de uma recessão na segunda maior economia do mundo se uniram ao conjunto de problemas preocupando investidores após o setor manufatureiro da China encolher pelo terceiro mês seguido.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.