Bombardier dispensa mais de 100 funcionários por teste de voo adiado

A canadense Bombardier afirmou nesta segunda-feira que dispensou mais de 100 funcionários e demitiu 110 trabalhadores nos Estados Unidos e México por atrasos no programa de testes de voo do seu novo jato executivo Learjet 85.

REUTERS

16 de junho de 2014 | 16h37

No mais recente revés para o programa de desenvolvimento da aeronave, que inclui atrasos e orçamento maior que o jato da CSeries, a Bombardier disse que "algumas coisas" afetaram o desenvolvimento do Learjet 85.

"Levando em conta que este era um projeto novo, utilizando tecnologias inovadoras, nós tivemos uma curva de aprendizado e tivemos alguns desafios", disse a porta-voz da empresa, Isabelle Gauthier. "Não estamos onde esperávamos com o programa".

A empresa com sede em Montreal não revelou quando espera que o novo jato entre em funcionamento, seguindo o adiamento da sua previsão de serviço, ou quanto o programa vai custar.

Os funcionários afetados, em produção e operação, serão readmitidos depois que a companhia fizer mais progressos com o programa de teste, informou a porta-voz.

O Learjet 85 entraria em serviço no final do ano passado, mas no início de 2013 a Bombardier decidiu adiar o lançamento para o verão de 2014.

(Reportagem de Susan Taylor)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBOMBARDIERDEMISSES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.