Divulgação O Boticário
Divulgação O Boticário

Boticário e Bubbaloo se juntam para lançar linha de beleza com ‘cheiro de chiclete’

Para atrair os consumidores nova linha de beleza aposta na nostalgia da marca de chicletes dos anos de 1980 e na produção dos cosméticos com itens veganos

Wesley Gonsalves, O Estado de S.Paulo

04 de outubro de 2021 | 06h30

O Boticário e a Mondelez Internacional se uniram para lançar uma coleção limitada de produtos de beleza com cheiro de chiclete. A linha “Cuide-se Bem Bubbaloo” trará hidratantes, sabonetes, cremes de mãos e até desodorantes inspirados na fragrância clássica da goma de mascar de tutti frutti. 

Para atrair os consumidores,  a nova linha de beleza aposta na nostalgia da marca de chicletes dos anos de 1980, na produção dos cosméticos com itens veganos e livres de crueldade animal. Conforme divulgado pela empresa de cosméticos,  90% dos compostos utilizados na produção da linha são naturais.

Ao todo, serão lançados sete produtos na parceria entre as marcas: sabonete líquido, sabonete em barra, hidratante corporal, creme de mãos, brilho labial e desodorante. “A escolha pela fragrância Bubbaloo Tutti-frutti se deve a esse ser o sabor mais emblemático do 'bubblegum', transportando os consumidores direto para lembranças afetivas”, conta a diretora da categoria Corpo & Banho do Grupo Boticário, Vanessa Machado.

Essa é a primeira vez que a empresa de chicletes participa do licenciamento de produtos do setor de beleza. “É uma forma interessantíssima para a marca ampliar seus pontos de contato com o consumidor, estando presente em outros momentos da sua vida, mas sempre trazendo boas sensações”, afirma a Mondelez Internacional, em nota. “Podemos esperar novas parcerias e muito mais novidades para Bubbaloo, é só o começo”.

A coleção “Cuide-se Bem Bubbaloo” estará disponível para os consumidores a partir de 6 de outubro. Os produtos serão vendidos nas lojas físicas e no e-commerce da marca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.