Bovespa deve cair até final do ano, avalia banco Fator

Para economista-chefe da instituição, é mais provável que índice feche o ano em torno de 60 mil pontos

Luciana Xavier e Patricia Lara,

23 de outubro de 2007 | 20h27

Novas ondas de turbulência no mercado imobiliário dos Estados Unidos devem segurar os ganhos da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) neste ano, na opinião do economista-chefe do Banco Fator, José Francisco Lima Gonçalves. Em entrevista ao AE Broadcast Ao Vivo, o executivo defendeu que, embora tenha se recuperado do furacão que derrubou os mercados em agosto e setembro, a bolsa paulista fechará o ano em um patamar muito diferente do atual.  - Ouça entrevista com executivo do Fator sobre perspectiva dos mercados  "A Bovespa está mais para 60 mil do que para 65 mil pontos no final do ano", avaliou. "Ainda teremos correção nas bolsas em geral, que estão muito valorizadas", avaliou.  Gonçalves disse acreditar que o ouro possa atingir em breve a marca dos US$ 1 mil a onça-troy. "Mas será por pouco tempo", ponderou, frisando que, caso haja nova rodada de muita turbulência nos mercados, o preço do ouro pode se manter em alta.  Ele defendeu que a possibilidade de os investidores perderem recursos com aplicações em ouro é "bastante grande" e que investimentos em outras produtos e no mercado de ações parecem "mais inteligentes".

Tudo o que sabemos sobre:
AE BroadcastBovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.