Bovespa lidera rentabilidade em outubro com ganho de 11,5%

CDB ocupou o segundo lugar, com avanço de 0,71% e a renda fixa ocupou o terceiro, com alta de 0,70% 

Roberta Scrivano, do Economia & Negócios,

31 de outubro de 2011 | 19h48

Depois de encerrar seis meses consecutivos com desempenho negativo, a Bolsa tomou fôlego e fechou outubro com alta de 11,49%. É o maior ganho mensal desde maio de 2009. No ano, porém, os investimentos em ação ainda estão na lanterna do ranking das aplicações, com queda de 15,82%. O dólar, que em setembro liderou em rentabilidade, ficou na última posição da listagem mensal com variação de -9,89%, recuo mais forte desde maio de 2009. No ano, a moeda ainda soma alta de 1,80%.

Os dois movimentos observados no ranking mensal - alta nas ações e queda na cotação do dólar - tem a ver com a diminuição do pessimismo mundial em relação à economia europeia. "A redução da dívida da Grécia em 50%, a ajuda aos bancos europeus e o aumento para 1 trilhão de euros do Fundo para resgate de economias com dificuldades fizeram as bolsas, ao redor do mundo, apresentarem recuperações importantes ao longo do mês", diz Fábio Colombo, administrador de investimentos.

 

No Brasil, a redução da taxa básica de juros (Selic), promovida na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, também colaborou para a alta da bolsa, segundo especialistas.

"Mas é muito difícil dizer como vai ser de agora em diante. Não dá para dizer que a Bovespa vai engrenar no positivo", avalia Ricardo Rocha, professor de finanças da Faculdade Instituto de Administração (FIA).

Há alguns analistas, porém, que estão mais otimistas. É o caso de Eduardo Matsura, analista técnico da corretora Souza Barros. Para ele, a alta registrada neste mês, "significa um passo muito importante no processo de recuperação das quedas". "Talvez seja o momento de colher os frutos, e investir agora com a cabeça em 2012", avalia.

Renda fixa

Entre o segundo e o quinto lugar do ranking dos investimentos só aparecem opções da renda fixa. As rentabilidades, no entanto, tendem a ficar mais baixas de agora em diante também por conta do recuo na Selic. As rentabilidades dessas io modalidades tendem a ser mais impactadas se o Copom prosseguir com as reduções da taxa. Há economistas que apostam que o Banco Central quer  chegar a 9% ao ano de taxa de jurto, no fim de 2012.

No segundo lugar do ranking das rentabilidades aparecem os CDBs com mais de R$ 100 mil aplicados. A rentabilidade registrada em outubro é de 0,71%. Na sequência estão os fundos de renda fixa, com alta de 0,70%. Os fundos DI ficaram na quarta posição, com ganho de 0,68%. O quinto lugar ficou com a poupança, com alta de 0,56%.D

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.