BP retira parte de sua equipe do Egito em meio a tensões

A petroleira britânica BP informou nesta sexta-feira, 05, que está retirando parte da sua equipe do Egito, em meio às tensões após o golpe militar que derrubou o presidente Mohammed Morsi. "Como medida preventiva, nós vamos retirar temporariamente funcionários não essenciais, terceirizados e seus familiares", afirmou a empresa, ressaltando que sua produção de petróleo e gás no país está normal.

Agencia Estado

05 de julho de 2013 | 16h05

A Shell afirmou que a segurança da sua equipe é a principal prioridade e que está "acompanhando atentamente a situação no Egito". Já a norte-americana Apache diz que não mudou nada na sua produção no país. Segundo a companhia, suas operações estão localizadas em áreas remotas e não foram afetadas pelos protestos nas grandes cidades egípcias.

Nesta sexta-feira o governo do Egito declarou estado de emergência em áreas no entorno no Canal de Suez, após um grupo islâmico atacar um aeroporto na região, gerando receios de interrupção no tráfego de navios petroleiros. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
BPsaídaEgito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.