BR Partners compra o banco Porto Seguro

Com a aquisição, empresa pretende começar a operar como banco de investimentos

Altamiro Silva Júnior, de O Estado de S. Paulo,

21 de novembro de 2011 | 23h00

A BR Partners, empresa focada em assessoria financeira, fundos de private equity e produtos estruturados, fechou nesta segunda-feira, 21, a compra do Banco Porto Seguro. A aquisição, cujo valor não foi revelado, faz parte da estratégia da BR de se transformar em banco de investimento, com foco em fusões e aquisições e aberturas de capital (IPO, na sigla em inglês), disse à Agência Estado o sócio fundador da BR, Ricardo Lacerda.

O banco Porto Seguro será capitalizado em R$ 120 milhões, com recursos próprios da BR. "O Brasil é hoje um dos três mercados de maior interesse para investidores no mundo e deverá continuar nessa posição pela próxima década", disse Lacerda, justificando o interesse em abrir um banco de investimento. A aquisição foi antecipada neste fim de semana pela jornalista Sonia Racy, em sua coluna.

O Banco Porto Seguro não era operacional, mas tinha as licenças e autorizações regulatórias do Banco Central para operar no mercado de varejo. Andrea Pinheiro, sócia da gestora, conta que a BR Partners vai pedir ao Banco Central a troca dessa autorização para a de banco de investimento, pois não há interesse da BR em trabalhar com o segmento de crédito.

O nome da nova instituição será BR Partners Banco de Investimento. "É uma oportunidade interessante começar uma instituição financeira do zero neste momento, com independência e sem a carga de problemas que as grandes instituições herdaram da recente crise financeira", disse Lacerda.

A BR Partners também está pedindo autorização ao BC para abrir uma corretora e operar no mercado de ações e derivativos. O contrato de compra e venda do Porto Seguro foi assinado ontem, mas a aquisição ainda precisa de autorização do BC.

O banco fazia originalmente parte do Grupo Porto Seguro e foi criado pela família Garfinkel, hoje controladora da seguradora, segundo informações de Lacerda. Na década de 80 houve uma cisão e a família Garfinkel ficou com a seguradora enquanto a família Bueno ficou com o banco. O vendedor foi o executivo José Roberto Bueno.

Expansão. A BR Partners foi criada há dois anos pelo executivo Ricardo Lacerda, que estava comandando na época o banco de investimento do Citibank na América Latina.

Lacerda também havia passado pelo Goldman Sachs, onde ocupou o cargo de presidente no Brasil e de vice presidente do banco de investimento em Nova York.

Atualmente, a empresa tem um capital de R$ 250 milhões e 65 funcionários. Com a obtenção da licença de banco de investimento, a intenção é contratar mais gente no mercado e chegar a 100 pessoas no ano que vem.

Além de Lacerda, outros sócios se juntaram a BR, incluindo Andrea, que estava na diretoria do Bradesco. Ela antes ocupava a vice-presidência do BMC, comprado pelo Bradesco em 2007.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
br partnersaquisição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.