Bradesco diz que resultado no 1º trimestre foi 'sólido'

O ano de 2014 começou desafiador na opinião do presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi. Apesar disso, o banco conseguiu no primeiro trimestre de 2014 entregar um resultado "sólido" e com evolução do retorno sobre o patrimônio líquido.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

24 de abril de 2014 | 10h13

O Bradesco registrou lucro líquido de R$ 3,443 bilhões no primeiro trimestre de 2014, montante 18,0% maior que o visto no mesmo período do ano passado, de R$ 2,919 bilhões. No conceito ajustado, ficou em R$ 3,473 bilhões. Segundo o banco, o desempenho no trimestre é resultado da consolidação do "rígido" controle de custos, despesas de provisão para perdas de crédito estáveis e crescimento da inclusão financeira dos clientes, que ampliaram o volume de produtos e serviços consumidos.

"Ao final do período, conseguimos um resultado sólido, com evolução da rentabilidade sobre o patrimônio, o que atende nossas expectativas e dos acionistas, por ser consistente e baseado em ganhos de eficiência, participação de mercado e qualidade do crédito", avalia Trabuco, em comunicado.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio do Bradesco (ROAE) alcançou 20,5% ao final de março ante 19,5% registrado um ano antes, com alta de 1 ponto porcentual. Na comparação com dezembro a elevação é de 2,5 pontos porcentuais.

O presidente também comemorou o êxito do banco em controlar custos e aumentar sua eficiência operacional e ainda destacou que a preocupação de ampliar a sua carteira de clientes é uma constante. "Por meios físicos, remotos ou tecnológicos, ampliamos o contato e abrimos novas oportunidades de negócio. O celular já representa um grande volume. Apenas no trimestre, foram mais de 320 milhões de transações", informa Trabuco.

A carteira de crédito expandida do Bradesco, que inclui avais e fianças, fechou março último em R$ 432,297 bilhões, alta de 10,4% em um ano e de 1,2% na comparação com o quarto trimestre de 2013. O banco destaca, em nota à imprensa, que o desempenho foi positivo, principalmente em março, indicando que o Bradesco deverá cumprir a previsão de crescimento da carteira acima de 10% no ano.

A operação de seguros participou com uma fatia de 30% do resultado do Bradesco no primeiro trimestre de 2014. Já a área financeira foi responsável pelos demais 70%, com uma fatia de 28% dos negócios de crédito, 28% dos serviços, 6% de títulos e valores mobiliários e 8% das captações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.