Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Bradesco prorroga mandato de Trabuco

Integração com o HSBC pesou na decisão do banco

Aline Bronzati, Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2016 | 23h08

O Bradesco confirmou a aprovação em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de acionistas da incorporação do HSBC Brasil e a elevação do limite de idade para exercício do cargo de diretor presidente.

Em relação ao HSBC, a partir de segunda-feira as 851 agências do banco já começarão a operar com o layout do Bradesco. O mesmo vale para os 4.400 caixas eletrônicos e 4.250 postos de atendimento em empresas.

A elevação da idade máxima permitida para exercer o cargo de presidente do banco foi alterada de 65 para 67 anos e em decisão unânime, segundo apurou o Broadcast, sistema em tempo real do Grupo Estado. Com isso, o mandato de Luiz Carlos Trabuco Cappi será postergado por mais dois anos, até 2019.

Em seu pronunciamento aos acionistas, Trabuco citou, segundo fontes, que este é um ano de desafios para todas as empresas brasileiras, mas que os investidores estão sabendo perceber o “esforço de superação” das companhias. O executivo destacou também que a ação do Bradesco é a mais valorizada no setor bancário das Américas com alta de 117% em dólar, neste ano, com base em dados divulgados pela Economática.

A integração do HSBC pesou na decisão do Bradesco de prorrogar o mandato de Trabuco, segundo fonte. O entendimento do conselho de administração do Bradesco, conforme outra fonte, é de que seria necessário manter a continuidade na gestão, reduzindo riscos de integração em um momento de crise no País. O HSBC Brasil é a maior aquisição da história do Bradesco. Custou R$ 16 bilhões e agregou cerca de R$ 175 bilhões em ativos ao banco. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.