Bradesco Seguros vê estímulo em interesse estrangeiro

O interesse de companhias estrangeiras e até mesmo nacionais no mercado de seguros brasileiro mostra o quanto o setor é atrativo e contribui para a sua solidez, segundo o presidente da Bradesco Seguros, Marco Antonio Rossi. "Estamos preocupados em estar com padrão de qualidade de serviços melhor que os concorrentes. Eles nos estimulam a trabalhar mais. Temos muita chance e oportunidades de crescimento no Brasil", avalia o executivo, em videorelease à imprensa publicado no site do Bradesco.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2014 | 15h21

Como mola propulsora de crescimento no Brasil, o mercado de seguros tem, conforme ele, o fato de a penetração de seguros ser "extremamente baixa". Apesar disso, o executivo lembra a trajetória de expansão que o setor teve nos últimos anos. Prova disso é a sua participação no produto Interno Bruto (PIB) brasileiro que passou de 2% nos anos 90 para cerca de 6% atualmente.

Para 2014, Rossi vê um cenário positivo, no qual o mercado de seguros vai continuar crescendo e com boa rentabilidade. "O mercado de seguros cresceu muito e a visão do brasileiro sobre as necessidades do produto também mudou muito. As pesquisas mostram que os brasileiros querem ter um plano de saúde, de previdência privada. O setor de seguros no Brasil caminha para alcançar maturidade", avaliou ele, no vídeo.

O foco da Bradesco Seguros, conforme Rossi, é o Brasil. A cultura do seguro, segundo ele, existe no quadro de colaboradores da instituição. Além de reconhecer a importância do seguro, a visão da companhia, de acordo com o executivo, é de que este instrumento complementar o crédito. Ele lembra que se o crédito tem um papel importante em garantir o sonho de pessoas de adquirir um bem, o seguro vem do lado da proteção do bem que está sendo financiado e do cidadão.

Neste contexto, a Bradesco Seguros busca, conforme o executivo, ampliar seu portfólio de produtos. Neste primeiro semestre, a seguradora vai lançar o seguro fiança locatícia após ter desenvolvido no ano passado soluções de aluguel no segmento de capitalização.

A Bradesco Seguros emitiu cerca de R$ 50 bilhões de prêmios no ano passado e lucro líquido de R$ 3,7 bilhões. Ao elevar sua arrecadação em mais de 12%, a companhia conseguiu cumprir o guidance para 2013 de expandir os prêmios de 12% a 15%. Para 2014, a projeção do Bradesco é mais conservadora. A instituição espera que seus prêmios emitidos avancem no mínimo 9% e no máximo 12%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bradesco Seguros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.