Bradesco Seguros vê oportunidades no segmento

O mercado de seguros brasileiro, que representa cerca de 5,7% do Produto Interno Bruto (PIB), tem um mundo de oportunidades para ser desenvolvido, de acordo com o presidente da Bradesco Seguros, Marco Antonio Rossi. Ele citou, por exemplo, os baixos números de penetração dos produtos securitários na população de menor renda.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

15 de agosto de 2013 | 15h41

No Brasil, apenas 13% das famílias C, D e E têm planos ou seguros de saúde, enquanto o seguro de vida alcança apenas 4% dessa população. Quando considerados os planos de previdência, o porcentual é de 1%, de acordo com Rossi. "Apenas 30% da nossa frota de veículos no Brasil é segurada. Existe um caminho enorme para avançarmos", destacou.

Há oportunidades, segundo Rossi, dentro do próprio Bradesco. Em uma simulação, considerando a média das agências tradicionais e as de melhor performance, o banco identificou potencial de crescimento de 57% dentre os correntistas que são clientes Bradesco Seguros e de 53% entre os clientes com mais de um produto de seguro.

De acordo com Rossi, a Bradesco Seguros tem centralizado suas sucursais em busca de redução de custos e potencialização de vendas. "Temos trabalhado muito para melhorar o canal de vendas e, por isso, o número de vendas por segurados têm aumentado", observou ele.

A parcela de clientes que têm mais de um produto da seguradora aumentou de 19%, em 2011, para 25%, atualmente. Já os prêmios emitidos cresceram 15,3% no primeiro semestre em um ano, para R$ 24,2 bilhões. O lucro líquido da seguradora ficou em R$ 1,9 bilhão, alta de 4,2% em 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
Bradescoseguros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.