Brasil emprestaria reservas do BC para ajudar Europa, diz ‘DJ’

Segundo fonte ouvida pela publicação, reservas do País não seriam alteradas, mas passariam a ser mantidas pelo FMI

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

28 de outubro de 2011 | 14h46

O Brasil está preparado para emprestar reservas do Banco Central com o objetivo de auxiliar no resgate da União Europeia, mas ainda não determinou quanto está disposto a oferecer, segundo uma fonte do governo que pediu para não ser identificada.

"A ideia é sair da reunião do G-20 com uma solução para essa crise", afirmou a fonte, referindo-se à cúpula das 20 maiores economias do mundo que acontecerá na França na semana que vem. A pauta do encontro deve girar em torno de propostas para resolver os problemas com dívidas soberanas europeias. "Se houver consenso de que o pacote da União Europeia é adequado, nós estaríamos dispostos a ajudar por meio do FMI (Fundo Monetário Internacional)."

A fonte acrescentou que o governo brasileiro prefere emprestar o dinheiro por meio de um acordo bilateral com o FMI. Tecnicamente, as reservas do País, de aproximadamente US$ 352 bilhões, não seriam alteradas, apenas passariam a ser mantidas pelo FMI.

O governo ainda não decidiu se vai contribuir diretamente com o veículo de propósito específico que será montado pelos europeus.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BCUEresgatereservasbrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.