Brasil pode ser segundo mercado da Volkswagen, atrás da China

Executivo da montadora afirma que será ampliado o investimento para operação crescer entre 4% e 5% até 2014

Michelly Chaves Teixeira, da Agência Estado,

21 de outubro de 2009 | 14h56

Se a operação da Volkswagen no Brasil crescer entre 4% e 5% ao ano até 2014, o País representará o segundo maior mercado externo de vendas para o grupo alemão, superando a Alemanha e ficando somente atrás da China. "Por isso pensamos em investir continuamente em produtos e capacidade produtiva no País", disse nesta quarta-feira, 21, o executivo da Volkswagen responsável por Compras e pela América do Sul, Francisco Javier Garcia Sanz, que visita o País na ocasião do aniversário de 50 anos da fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo. Esta foi a primeira unidade lançada pelo grupo fora da Alemanha.

 

Até 2014, a Volks quer registrar no País vendas de 1 milhão de veículos, afirmou o presidente da subsidiária, Thomas Schmall. Em 2008, foram vendidos 640 mil unidades da marca. Entre janeiro e setembro de 2009, os emplacamentos de veículos da Volks somaram 458.454 unidades, alta de 12% ante igual intervalo de 2008.

 

Em breve coletiva de imprensa, Schmall reforçou a intenção da Volkswagen de superar a Fiat no Brasil na venda de automóveis e comerciais leves. Hoje, a empresa alemã tem a dianteira na primeira categoria, mas espera que, com o lançamento da nova Saveiro, no último agosto, e da Amarok, no início de 2010, preencherá a lacuna em comerciais leves.

 

Em novembro, a Volks anunciará seus planos de investimento no Brasil. A empresa já tinha informado que não investiria na construção de uma nova fábrica, e sim na ampliação de uma de suas fábricas - Anchieta, Taubaté e São José dos Pinhais.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilVolkswagenmercadoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.