Brasil tem condições de enfrentar a crise, diz Gerdau

Para empresário, o problema mais difícil a ser enfrentado pelo País é a valorização do real ante o dólar; para ele, somente quando os juros caírem, o câmbio poderá se reduzir 

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

19 de agosto de 2011 | 14h56

O Brasil tem condições de enfrentar a atual crise econômica global, com uma liquidez que o País nunca teve em crises anteriores. A opinião é do empresário Jorge Gerdau Johannpeter. "Temos cerca de US$ 350 bilhões em reservas que nos dão tranquilidade", completou.

Ele admitiu, porém, que o abalo global deve afetar a atividade industrial brasileira, ainda que em menor intensidade. O empresário citou como principal problema o acirramento da competição no comércio exterior, com impacto tanto para as exportações como para as importações brasileiras. Gerdau destacou as medidas que o governo tomou, no sentido de ampliar a competitividade de alguns setores, lembrando que essas ações podem ser ainda estendidas a outros segmentos da economia. "Mas ainda é preciso mexer em certas estruturas tributárias que acabam beneficiando importados", observou.

Segundo Gerdau, o problema mais difícil a ser atacado ainda é a valorização do câmbio em relação ao dólar. Na avaliação do empresário, como a inflação desacelerou nos últimos meses, o governo poderá interromper o ciclo de alta dos juros. Mas ressaltou que somente quando os juros caírem para patamares mais próximos aos praticados em outros países é que o ingresso de capitais, que pressiona o câmbio poderá se reduzir.

Gerdau presidiu hoje, no Palácio do Planalto a terceira reunião da Câmara de Gestão Desempenho e Competitividade, da qual participam outros empresários e ministros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.