Brasil tem déficit em conta corrente de US$ 6,4 bi em maio, acima da previsão

Nos cinco primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 35,592 bilhões, o que representa 4,18% do PIB

Célia Froufe e Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

21 de junho de 2013 | 11h01

BRASÍLIA - O resultado das transações correntes seguiu negativo em maio ao registrar um déficit de US$ 6,420 bilhões.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse que o número veio acima das projeções do BC, que esperavam um resultado negativo de apenas US$ 5,2 bilhões. 

Maciel salientou que o resultado de maio foi o maior déficit para o mês da série histórica, que começa, com abertura mensal, em 1990. Os dados anuais eram apresentados pelo governo desde 1947.

Peso da balança comercial

"Grande parte (do déficit) se deve ainda ao desempenho da balança comercial. O desempenho tem sido inferior ao de igual mês do ano passado e isso vem se repetindo desde início do ano", considerou.

Segundo Maciel, a piora no resultado da balança comercial responde por 60% do aumento de US$ 18,7 bilhões no déficit em transações correntes nos cinco primeiros meses de 2013 sobre o mesmo período de 2012. "Desse valor, US$ 11,7 bilhões vêm da diferença de resultado da balança comercial. Isso decorre tanto do aumento de importação como da queda de exportação", afirmou.

Maciel afirmou que, o aumento das importações reflete a dinâmica da atividade no primeiro semestre de 2013, que é diferente de 2012. "Tivemos ritmo de crescimento maior. Isso se traduz em maior demanda por bens e serviços externos, principalmente nos segmentos ligados à produção."

Projeção

A projeção do BC para junho, segundo Maciel, é de um déficit de US$ 5,4 bilhões para a conta corrente deste mês.

Parcial

Nos cinco primeiros meses do ano, o déficit em conta corrente está em US$ 35,592 bilhões, o que representa 4,18% do Produto Interno Bruto (PIB). Já no acumulado dos últimos 12 meses até maio de 2013, o saldo negativo está em US$ 72,972 bilhões, o equivalente a 3,20% do PIB.

Em maio, o saldo da balança comercial foi positivo em US$ 759 milhões, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 4,380 bilhões. A conta de renda também ficou deficitária no mes passado em US$ 2,962 bilhões.

Lucros e dividendos

O saldo de remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 2,363 bilhões em maio, informou há pouco o Banco Central. No mesmo mês do ano passado, o resultado foi uma saída líquida de US$ 2,550 bilhões. No acumulado de 2013, o saldo está negativo em US$ 11,879 bilhões, ante US$ 8,444 bilhões no mesmo período de 2012.

O BC informou ainda que as despesas com juros externos somaram US$ 648 milhões em maio e US$ 4,849 bilhões no acumulado do ano. Em 2012, o gasto com juros totalizou US$ 504 milhões em maio e US$ 3,790 bilhões nos primeiros cinco meses.

Dívida externa

O Banco Central informou há pouco que a estimativa para a dívida externa brasileira em maio de 2013 é de US$ 325,488 bilhões. Em março de 2013, último dado verificado, a dívida estava em US$ 324,773 bilhões. No fim de 2012, estava em US$ 312,898 bilhões.

A dívida externa de longo prazo atingiu US$ 285,913 bilhões, enquanto o estoque de curto prazo estava em US$ 39,575 bilhões no fim do mês passado, segundo estimativas do BC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.