Brasil terá posição firme contra controle de preço no G-20, diz Rossi

Grupo formado pelas 20 maiores economias mundiais se reúne nos dias 22 e 23 de junho em Paris para discutir a 'financeirização' do mercado de commodities agrícolas

Jane Miklasevicius, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 12h06

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, disse hoje que levará uma "posição firme" do Brasil contra qualquer política de controle dos preços durante reunião dos ministros de Agricultura do G-20, grupo formado pelas 20 maiores economias mundiais, que será realizada nos dias 22 e 23 de junho em Paris, e que discutirá a 'financeirização' do mercado de commodities agrícolas.

"Quando, durante 30 anos, os preços estiveram deprimidos nenhum país rico veio até nós, emergentes, propor um equilíbrio. Agora que o produtor tem rentabilidade fala-se em controle", disse Rossi no Seminário Perspectivas para o Agribusiness, em São Paulo. "Para se estabilizar os preços, obter um equilíbrio, há apenas um mecanismo: produzir mais."

Rossi informou que a França já recuou na ideia de defender o controle de preços. De acordo com ele, no encontro em Paris o foco será como combater a especulação, sem ferir a relação do setor produtivo com o mercado financeiro. "A relação com o mercado financeiro é uma garantia ao produtor", disse. Rossi salientou que, antes de embarcar para a França, no próximo dia 20, voltará a conversar com a BM&FBovespa sobre o tema.

Tudo o que sabemos sobre:
Rossipreçosagricultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.