Brasil vai enviar energia para Argentina entre maio e agosto

Governo federal vai reunir energia de diversas regiões do País, exceto a Sul, para ajudar o país vizinho

Reuters,

29 de abril de 2008 | 12h44

O governo brasileiro decidiu fazer um "mix" de várias regiões do País, excluindo o Sul, que passa por uma estiagem, para enviar energia à Argentina a partir de maio, informou o Ministério de Minas e Energia nesta terça-feira, 29.  No dia 5 de maio, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) vai se reunir para decidir o volume que será enviado, entre maio e agosto, o mesmo que o país vizinho terá que retornar entre setembro e novembro.  O intercâmbio de energia entre os dois países foi acertado no encontro entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner no início deste ano.  No entanto, agentes do setor temiam que o sistema elétrico do Sul, atualmente com reservatórios de hidrelétricas mais baixos do que no restante do País, não fosse suficiente para atender ao acordo firmado entre os dois políticos.

Tudo o que sabemos sobre:
EnergiaArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.