Brasil vai liberar IPI para carros vindos do Uruguai

Indústria de autopeças uruguaia ainda é insuficiente e montadoras não conseguem cumprir índice de conteúdo regional  

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

27 de setembro de 2011 | 19h52

O governo brasileiro se comprometeu a adotar, no prazo mais breve possível, as medidas necessárias para que os automóveis contemplados no acordo automotivo Brasil e Uruguai sejam beneficiados com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a que têm direito as montadoras instaladas no Brasil. Em nota conjunta, os ministérios da Fazenda e de Relações Exteriores informaram que as autoridades dos dois países coincidiram quanto à importância de dar uma resposta conjunta frente aos desafios do atual cenário econômico internacional. "Nesse sentido, há o entendimento comum sobre a necessidade de preservar a estrutura produtiva e os empregos na região, em particular no setor industrial", afirma a nota.

Os dois países ainda irão aprofundar a integração produtiva das suas economias, como a constituição de "joint-ventures" entre empresas dos dois países. "Em particular, acordaram incentivar o aprofundamento da integração produtiva entre empresas da cadeia automotiva, com vistas à aceleração do ritmo de incorporação de conteúdo regional de automóveis e autopeças", informa a nota.

Brasil e Uruguai ainda acordaram em aprovar a criação de uma lista para cada País com até cem produtos que podem sofrer elevações de Imposto de Importação transitórias. Esta medida foi anunciada no Plano Brasil Maior mas depende de aprovação no Mercosul. A Argentina já teria concordado. A assessoria de imprensa do Ministério da Fazenda avisou mais cedo que a nota só seria divulgada amanhã, mas como o governo uruguaio liberou a nota, a Fazenda decidiu também antecipar a divulgação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.