Claude Paris/ AP Photo
Claude Paris/ AP Photo

Brasileiros gastam US$ 2 bilhões no exterior em janeiro

Segundo o Banco Central, o saldo da conta de viagens internacionais ficou negativo em US$ 1,5 bilhão, visto que os estrangeiros gastaram menos no Brasil do que os brasileiros no exterior

Murilo Rodrigues Alves e Laís Alegretti, da Agência Estado,

21 de fevereiro de 2014 | 10h39

BRASÍLIA - A conta de viagens internacionais registrou um saldo negativo de US$ 1,478 bilhão em janeiro. Segundo dados divulgados pelo Banco Central, esse saldo negativo é resultado do volume de despesas pagas por brasileiros no exterior (US$ 2,120 bilhões) acima das receitas obtidas com turistas estrangeiros em passeio pelo Brasil (US$ 643 milhões).

O saldo negativo foi menor do que o visto em janeiro de 2013, de US$ 1,603 bilhão.

O resultado do saldo em janeiro foi 7,8% menor do que o registrado em janeiro de 2013. Os gastos de turistas brasileiros no exterior caíram 7,8% e os de estrangeiros no Brasil, 7,7%.

Para este ano, o BC projeta que a conta de viagens vai fechar deficitária em US$ 19 bilhões, acima dos US$ 18,632 bilhões registrados no acumulado do ano passado.

Menor uso do cartão. O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, destacou a queda do déficit na conta de serviços em janeiro deste ano na comparação com o mesmo do ano passado. O fato se deve, segundo o economista, à variação cambial.

O aumento do dólar influenciou a retração nos gastos dos brasileiros no exterior na comparação entre janeiro do ano passado e janeiro deste ano. Em 2013, a conta de serviços ficou negativa em US$ 47,523 bilhões, 17% a mais do que o déficit do ano anterior.

Segundo Maciel, essa expansão, que já foi da ordem de 20%, começa a se moderar. Os brasileiros gastaram US$ 2,120 bilhões no exterior no mês passado, ante US$ 2,299 bilhões em janeiro de 2013.

Maciel ressaltou que esse nível de despesas ainda é elevado.O brasileiro que vai hoje para o exterior, em média, faz metade das despesas com cartão de crédito e metade com moeda em espécie, segundo dados do Banco Central. "Isso vem mudando. Em 2011, participação do cartão de crédito era 60%", afirmou.

Enquanto os gastos em viagens internacionais cresceram por volta de 20% em 2013, as despesas com cartão de crédito em 2013 cresceram "só" 0,5% no período, informou Maciel.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco Centraldéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.