Braskem avalia fábrica de polietileno verde em 4 países

A Braskem está negociando a instalação de fábricas de polietileno verde com quatro países, disse nesta sexta-feira o presidente da petroquímica, Bernardo Gradin.

REUTERS

24 de setembro de 2010 | 14h14

Sem detalhar quais seriam estes países, o executivo afirmou apenas que eles estão localizados na Europa, América e Ásia. Segundo Gradin, as unidades poderão ser construídas no exterior mesmo que a matéria-prima de abastecimento, o etanol, seja fornecido do Brasil.

"Esses países querem que se repita o que foi feito no Rio Grande do Sul... Seriam fábricas simultâneas ao crescimento em polietileno verde no Brasil", afirmou o executivo a jornalistas.

O Estado gaúcho, que sedia a primeira unidade deste gênero da Braskem, não produz cana-de-açúcar, embora exista a possibilidade de que, com a unidade de Triunfo, "empresários possam pensar em investir aqui".

Além de eventuais unidades produtoras de polietileno verde em outros países, o presidente da petroquímica destaca que a próxima reunião do conselho de administração, prevista para 6 de outubro, também definirá os novos passos da empresa neste segmento dentro do Brasil.

"As novidades ainda não passaram pelo conselho, mas garantimos a intenção (de expandir os negócios em plástico verde no Brasil)", disse Gradin. De acordo com ele, além da previsão de se tornar uma das maiores petroquímicas do mundo, a Braskem mantém o interesse de ser líder mundial em bioresinas.

Em entrevista coletiva, o presidente da Braskem afirmou ainda que, quando foi anunciada a construção da fábrica, a demanda por polietileno verde já era superior em três vezes a oferta do produto. Sem dar números, Gradin agora afirma que o número já é maior.

"Não colocamos limites (de capacidade de produção)", completou o executivo.

Gradin participa nesta tarde de cerimônia da inauguração oficial da fábrica de polietileno verde da Braskem no polo petroquímico de Triunfo, com participação prevista do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que mais cedo esteve na BM&FBovespa, em São Paulo, para cerimônia de lançamento de novas ações da Petrobras.

A unidade gaúcha vai produzir 200 mil toneladas de polietileno verde por ano. Os investimentos foram de 500 milhões de reais.

Às 13h57, as ações da Braskem subiam ligeiros 0,4 por cento, enquanto o Ibovespa mostrava ganho de 0,13 por cento.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASBRASKEMPOLIETILENO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.