Daniel Teixeira/Estadão - 16/3/2012
Daniel Teixeira/Estadão - 16/3/2012

Ações da Braskem sobem 6,58% com expectativa de acordo com LyondellBasell

Em junho, a Odebrecht anunciou que assinou um acordo de exclusividade com a holandesa LyondellBasell para venda de sua participação na petroquímica Braskem

Fabiana Holtz, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2018 | 12h55
Atualizado 10 Julho 2018 | 18h03

A Braskem foi destaque entre as altas no pregão desta terça-feira, 10, em meio a expectativa de que um acordo com os holandeses da LyondellBasell pela participação da Odebrecht na petroquímica sairá até outubro. As ações da companhia subiram 6,58%, para R$ 52,63. Na primeira etapa do dia, os papéis da companhia chegaram a subir 10%, mas diminuiram ganhos na tarde.

+ Com cenário externo positivo, Bolsa abre em alta

Em junho, a Odebrecht anunciou que assinou um acordo de exclusividade com a holandesa LyondellBasell para venda de sua participação na petroquímica Braskem. A Odebrecht detém 38,3% do capital da petroquímica e a Petrobrás, 36,1%. 

+ Na Bolsa, valor dos grupos de petróleo voltou a crescer

Fontes ouvidas pelo Estado afirmam que o objetivo da Odebrecht é manter uma participação minoritária na petroquímica. Mas, por enquanto, não nenhum desenho de como será a proposta da LyondellBasell. A compra da empresa brasileira criaria a maior petroquímica do mundo, com participações relevantes nas Américas, Europa e Ásia.

+ Acordo com AGU e CGU melhora cenário para Odebrecht

O acordo poderia ser concluído até outubro, segundo reportagem do Valor Econômico.

+ Petrobrás assina termo para retirar bloqueio a Odebrecht

A conclusão também dependerá de negociações com a Petrobrás, que poderá exercer a preferência na compra ou optar pelo tag along e ainda precisa renovar o contrato de fornecimento de nafta para a Braskem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.