Braskem e PetroPerú estudam projeto petroquímico

A Braskem e a Petróleos Del Perú (PetroPerú) assinaram hoje um memorando de entendimento para análise técnica e econômica da viabilidade de um projeto petroquímico no Peru, conforme antecipado ontem pela Agência Estado. O objetivo das duas empresas é estudar a viabilidade da implementação de unidades para a produção integrada de 1,2 milhão de toneladas por ano de eteno e polietileno, utilizando o etano proveniente das reservas de gás natural da região de Las Malvinas.

AE, Agencia Estado

25 de novembro de 2011 | 10h37

Depois da confirmação de sua viabilidade e sujeito às negociações dos contratos definitivos e das aprovações societárias das partes, o empreendimento fará parte do denominado Projeto Integrado do Sul, que inclui a construção do Gasoduto Andino do Sul, pela empresa Kuntur, e de um moderno complexo industrial na região sul do Peru, que será um marco no processo de industrialização do país.

"Esta iniciativa da Braskem está em linha com sua visão estratégica de se tornar uma das empresas líderes na indústria química mundial até 2020, por meio da combinação de crescimento no mercado doméstico, alternativas de acesso a matérias-primas competitivas e busca de oportunidades de internacionalização para o acesso a novos mercados, especialmente no eixo da América", afirmou, em comunicado à imprensa, o diretor de Negócios Internacionais para América do Sul da Braskem, Sergio Thiesen.

"O projeto terá como grande vantagem sua localização estratégica na costa do Pacífico e a capacidade para atender tanto ao mercado peruano como aos de outros países da região andina", disse o presidente da PetroPerú, Humberto Campodónico.

Tudo o que sabemos sobre:
BraskemPetroPerúparceria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.