Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Lucro da Braskem sobe 545% no 3º trimestre e soma R$ 1,48 bilhão

Impacto do câmbio e margens mais favoráveis à indústria petroquímica mundial fizeram o resultado da empresa disparar

André Magnabosco , O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2015 | 10h56

SÃO PAULO - O lucro líquido da Braskem somou R$ 1,48 bilhão no terceiro trimestre deste ano, expansão de 545% quando comparado ao resultado reportado no mesmo período de 2014. O avanço, de acordo com a companhia, decorre dos efeitos positivos da desvalorização do real sobre os resultados operacionais e da manutenção de margens mais favoráveis à indústria petroquímica mundial. 

Tais fatores, ainda de acordo com a Braskem, mais do compensaram os efeitos provocados pela retração da economia nacional e consequente redução da demanda interna por insumos petroquímicos. No acumulado de janeiro a setembro, o lucro da petroquímica somou R$ 2,740 bilhões, elevação de 265% sobre o mesmo intervalo do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do terceiro trimestre alcançou R$ 3,027 bilhões, alta de 102% em relação a igual período de 2014. No acumulado de nove meses até setembro, o indicador totaliza R$ 7,128 bilhões, expansão de 67% sobre o ano passado.

A Braskem também anunciou um Ebitda ajustado de R$ 3,044 bilhões, expansão de 103% em relação ao mesmo período de 2014. No ano, o Ebitda ajustado atinge R$ 7,138 bilhões, avanço de iguais 67%. A margem Ebitda do terceiro trimestre ficou em 23,1%, contra 12,8% do terceiro trimestre do ano passado e 22,5% do segundo trimestre deste ano.

A receita líquida atingiu R$ 13,16 bilhões entre julho e setembro, elevação de 12%. No acumulado anual, a Braskem obteve receita líquida de R$ 34,951 bilhões, aumento de 2% sobre o ano passado. O resultado é puxado principalmente pelo efeito do dólar nas exportações e também nos preços praticados localmente, dado que a política comercial da Braskem consiste em adequar os valores de mercado aos preços praticados no Brasil.

A contrapartida do real desvalorizado é sentida no resultado financeiro, porém esse impacto no caso da Braskem é limitado em função da adoção da contabilidade de hedge (hedge accounting), a qual mitiga o impacto cambial sobre a linha financeira. 

Ainda assim, a Braskem reportou despesa financeira líquida de R$ 174 milhões no terceiro trimestre, contra R$ 632 milhões negativos no mesmo período de 2014. No acumulado de nove meses entre janeiro e setembro, o resultado financeiro da Braskem é negativo em R$ 1,379 bilhão, contra uma despesa financeira líquida de R$ 1,670 bilhão no mesmo intervalo do ano passado. 

Tudo o que sabemos sobre:
Braskem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.