BRF leva proposta ao Cade e discute alguns pontos

Os representantes da BRF Brasil Foods se reuniram hoje com alguns conselheiros do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para tentar chegar a um consenso sobre a fusão Sadia/Perdigão. "Apresentamos uma proposta e discutimos alguns pontos. Isso é o que foi feito", disse o presidente da empresa, José Antônio do Prado Fay. "Foi uma reunião de trabalho como tinha de ser", continuou, acrescentando que não poderia detalhar mais o teor da reunião por causa de impedimentos da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e do próprio processo no Cade.

CÉLIA FROUFE, Agencia Estado

21 de junho de 2011 | 17h32

Esta é a segunda reunião entre a empresa e o Cade desde que o conselheiro Ricardo Ruiz adiou o julgamento na quarta-feira da semana passada. Naquele dia mesmo, as partes tiveram um primeiro contato para analisar quais seriam os próximos casos. Segundo apurou a Agência Estado, os representantes da autarquia deixaram como "lição de casa" para a BRF a leitura do voto do relator Carlos Ragazzo, que foi pela reprovação do negócio e também vetou a primeira proposta de acordo da empresa.

Participaram do encontro de hoje, pelo Cade, os conselheiros Ruiz, Alessandro Octaviani, Marcos Veríssimo e Olavo Chinaglia, que preside a sessão deste caso. Também esteve presente o procurador Victor Gomes. Dos sete membros da autarquia, apenas cinco estão aptos a participar do julgamento da BRF. Destes cinco, o único conselheiro que não participou do encontro foi o relator, Carlos Ragazzo.

Pela empresa, estiveram presentes ao encontro de hoje o presidente da BRF, José Antonio do Prado Fay, e o vice-presidente de Assuntos Corporativos da companhia, Wilson Mello. Também participaram Paulo de Tarso Ramos Ribeiro, Bárbara Rosenberg, José Cabral, Nilvo Mittanck, Carolina Cadavid, José Carlos Bernardo, Jorge Fagundes e Bernardo Macedo.

Tudo o que sabemos sobre:
alimentosfusãoBRFSadiaPerdigãoCade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.