BRF: oferta e demanda se equilibrarão no 1º semestre

O vice-presidente de Finanças, Administração e Relações com Investidores da BRF Brasil Foods, Leopoldo Saboya, disse esperar que o equilíbrio entre a oferta e a demanda de carnes mundial se resolva ainda neste primeiro semestre do ano. O desequilíbrio foi o que prejudicou, segundo ele, os resultados da companhia no primeiro trimestre, principalmente de mercados relevantes para a BRF, como Oriente Médio e Japão, que reduziram os preços pagos pela proteína brasileira. O Oriente Médio representa 30,3% das exportações totais em receita da companhia, enquanto o Extremo Oriente, que inclui o Japão, 23,4%.

SUZANA INHESTA, Agencia Estado

27 de abril de 2012 | 19h58

"Já estamos sentindo a sobreoferta caindo, principalmente no Japão, e os preços começaram a reagir. Já é um panorama de recuperação e os sinais estão cada vez mais claros", disse o executivo, durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira, ressaltando que o cenário adverso nas exportações não muda a estratégia da companhia. Segundo ele, os preços recuaram, em dólar, 15% no primeiro trimestre ante o mesmo período do ano passado. "Já havíamos sentido esse movimento a partir de outubro, mas o efeito foi total no primeiro trimestre".

Saboya ainda comentou que o câmbio está favorável às exportações (no primeiro trimestre, o dólar médio ficou 6% acima da média do mesmo período do ano passado), mas que não foi suficiente para mitigar os efeitos das quedas dos preços. "Mas não há problema de demanda, pelo contrário. Europa está indo bem, África e mercados emergentes também. China, Hong Kong, Coreia e Cingapura estão crescendo a níveis maiores do que Japão e Oriente Médio. O problema foi o fluxo do trade", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
BRFresultadooferta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.