BRF: venda interna deve melhorar com volta da fábrica de GO

Empresa teve queda de 14,3% nas vendas no 2º tri deste ano, em relação a igual intervalo do ano passado

Tatiana Freitas, da Agência Estado,

17 de agosto de 2009 | 12h30

A BRF Brasil Foods, nova denominação da Perdigão, teve queda de 14,3% no volume de vendas no mercado interno no segundo trimestre deste ano, em relação a igual intervalo do ano passado. Segundo o diretor presidente da BRF, José Antonio Fay, parte desse comportamento pode ser explicada pelo incêndio da unidade de Rio Verde (GO), ocorrido ainda no primeiro trimestre, que reduziu a oferta de produtos processados, como empanados, salsichas e hambúrgueres, no mercado doméstico. Com o retorno recente da unidade incendiada à sua capacidade total, Fay acredita que a companhia terá um desempenho melhor no mercado interno nos próximos trimestres.

 

Diante da menor disponibilidade de produtos no segundo trimestre, a empresa procurou trabalhar com preços mais elevados no período, na tentativa de não prejudicar de forma significativa os resultados. Os preços médios dos produtos processados no mercado interno, por exemplo, aumentaram 9% no segundo trimestre. "Também continuamos buscando um novo posicionamento no mercado doméstico", lembrou Fay. Dessa forma, a receita com as operações no mercado interno caiu apenas 3,8% no segundo trimestre, frente à queda de 14,3% em volume.

 

"A demanda continua. Felizmente, quem capturou a fatia de mercado deixada por nós foi a Sadia. Jamais imaginei falar isso, mas isso é realmente muito bom porque a receita ficou dentro do sistema BRF", afirmou.

 

A companhia também enfrenta dificuldades no mercado interno de suínos. "Tivemos uma alta na oferta de suínos para abate. Enquanto as exportações não forem retomadas, a cadeia se reprime e a rentabilidade fica prejudicada", afirmou Fay.

Tudo o que sabemos sobre:
BRF Brasil FoodsRio Verdevendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.