British Airways registra prejuízo recorde em semestre fiscal

Companhia aérea registrou uma perda líquida recorde de US$ 361,6 milhões; fusão com a Iberia é estudada

Reuters,

06 de novembro de 2009 | 11h50

A companhia aérea British Airways informou nesta sexta-feira, 6, que registrou uma perda líquida recorde de 217 milhões de libras (US$ 361,6 milhões) em seu primeiro semestre fiscal, que terminou em 30 de setembro, e destacou que continua as conversas para uma possível fusão com a Iberia.

 

Em comunicado enviado nesta sexta-feira à Bolsa de Valores de Londres, a empresa britânica - a terceira companhia aérea da Europa - disse que esta cifra contrasta com a perda líquida de 49 milhões de libras (US$ 81,66 milhões) do mesmo período do ano anterior. A perda bruta da British Airways foi de 292 milhões de libras (US$ 486,6 milhões) frente a de 52 milhões de libras (US$ 86,6 milhões) do mesmo semestre fiscal de 2008.

 

O executivo-chefe da British Airways, Willie Walsh, em declarações à "BBC", não quis dar detalhes das conversas com a Iberia e se limitou a dizer que não há nenhum acordo formal. Além disso, Walsh se negou a responder à pergunta sobre se a empresa levará sua sede para a Espanha caso a fusão de fato ocorra.

 

No comunicado, a British Airlines diz que está centrada no diálogo com a Iberia e que desenvolveu uma "boa relação" com a nova equipe de gestão da companhia aérea espanhola. A companhia britânica destaca que está à espera da aprovação das entidades reguladoras da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) e do Departamento de Transporte dos Estados Unidos sobre um novo negócio - anunciado em agosto de 2008 - que permita unir forças com a American Airlines e a Iberia em voos entre América do Norte e Europa.

 

As difíceis condições do mercado levaram a British Airways a registrar queda de 13,7% em seu faturamento, que no primeiro semestre fiscal (de abril a setembro) foi de 4,102 bilhões de libras (US$ 6,836 bilhões), frente a 4,754 bilhões de libras (7,923 bilhões) do mesmo período de 2008.

As vendas caíram 14%, até 4,1 bilhões de libras (US$ 6,83 bilhões). A dívida líquida em 30 de setembro estava em 2,362 bilhões de libras (US$ 3,936 bilhões), frente a 1,443 bilhão de libras (US$ 2,405 bilhões) do mesmo período do ano passado.

 

A British Airways também informou que cortará 1.200 postos de trabalho, em sua maioria no exterior, extinguindo um total de 4.900 empregos em 2010. A companhia aérea, que tem 38.700 funcionários, já tinha anunciado que cortaria 3.700 postos de trabalho até março de 2010.

 

Diante dos maus resultados divulgados, Walsh destacou que o setor da aviação continua em recessão e acrescentou que a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) antecipou que esta indústria perderá US$ 11 bilhões neste ano. O executivo-chefe da British Airways declarou que a empresa passará por mais mudanças estruturais na segunda metade do ano fiscal.

Tudo o que sabemos sobre:
British Airwaysbalançosemestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.