Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

BTG cria versão digital para competir no varejo

Um ano depois da prisão de André Esteves, banco se lança a novo público exigindo apenas R$ 3 mil de investimento inicial

Josette Goulart, Impresso

29 Novembro 2016 | 22h05

O banco de investimentos BTG Pactual está chegando ao mercado de varejo. A instituição fundada por André Esteves lançou oficialmente nesta terça-feira, 29, sua versão digital, que vai aceitar que qualquer cliente pessoa física, que tenha a partir de R$ 3 mil, invista diretamente nos fundos do banco por meio de uma conta de investimento aberta pela internet. Um ano depois de passar “pelo pior possível”, como se referiu o presidente do banco, Roberto Saloutti, ao período que se seguiu à prisão de Esteves, a instituição se lança no novo negócio com uma meta ousada: movimentar R$ 65 bilhões em cinco anos.

Saloutti entende que a crise de imagem vivida pela prisão de Esteves, que hoje já está de volta ao banco como executivo, seja coisa do passado e não influencie mais as decisões de investimentos de seus clientes, que retiraram cerca de R$ 60 bilhões dos fundos da instituição. Nesses 12 meses que se passaram, o banco diminuiu de tamanho, teve de mudar de estratégia, deixando mercados como o de investimentos em private equity, que se mostraram fracassados. Também reduziu exposição ao crédito e ficou menos agressivo em sua atuação.

A própria oferta inicial de produtos de investimentos na sua plataforma digital se mostra conservadora. As opções são de fundos que basicamente seguem o desempenho da taxa de juros brasileira. Para angariar os clientes dos grandes bancos, a estratégia foi abrir para investimentos fundos do banco que possuem taxas de administração muito competitivas.

É o caso do fundo Yield DI, no qual se pode investir com apenas R$ 3 mil, com taxa de 0,3% ao ano. Esse era um fundo que antes ficava disponível apenas aos clientes da área de gestão de fortunas, que aplicavam pelo menos R$ 5 milhões no banco.

De acordo com Marcelo Flora, que comanda a área digital, mesmo com investimento inicial permitido tão baixo, o objetivo do banco é atingir o cliente de alta renda. Por isso, a campanha de marketing que está sendo lançada junto com a opção digital é voltada para esse público. Serão veiculados anúncios nos principais jornais e revistas e também em canais de TV a cabo.

Mais conteúdo sobre:
André Esteves

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.