Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

BTG Pactual vende Rede D'Or para fundo soberano de Cingapura por R$ 2,38 bilhões

Fundo CIG já detinha uma fatia de 16% da rede de hospitais; banco BTG corre para vender ativos em meio à crise de confiança que se abateu sobre a instituição desde a prisão de Esteves

Beth Moreira, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2015 | 09h06

SÃO PAULO - O banco BTG Pactual e o BTG Pactual Participations informam que o grupo BTG Pactual vendeu sua participação na Rede D'Or São Luiz S.A. para o fundo soberano de Cingapura, o CIG, por R$ 2,38 bilhões. A operação foi antecipada pelo Estado. Em breve comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o banco informa que o fechamento do negócio está condicionado à aprovação da autoridade concorrencial competente.

O GIC entrou na Rede D'Or em maio, ao comprar por R$ 3,2 bilhões uma fatia de 16%, em uma venda em que tanto o BTG quanto os fundadores, a família Moll, se desfizeram de participação. O BTG havia comprado 25,6% da rede de hospitais em 2010 (por R$ 600 milhões), mas, com dificuldades em sua área de private equity, começou a se desfazer de participações no início do ano.

Em abril, o banco já havia tido a participação diluída no negócio quando outro sócio, o fundo de private equity americano Carlyle, investiu R$ 1,75 bilhão na DOr e passou a ter 8,3% do negócio.

O Carlyle já teria manifestado interesse, nos últimos meses, em adquirir a participação do BTG no negócio, mas o GIC acabou saindo agora na frente por ter mais liquidez. O BTG tinha pressa em fechar o negócio, após a prisão de André Esteves no último dia 25, em uma nova fase da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobrás. No mesmo dia, o senador Delcídio Amaral (PT) também foi preso, acusado de tentar obstruir as investigações da Polícia Federal.

Ao fechar a operação, o BTG tenta mostrar ao mercado que está bem capitalizado e pode atravessar o período de turbulência provocado pela prisão de Esteves. (Com equipe da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
André Estevesprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.