Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Ariel Grunkraut vai assumir o comando do Burger King no Brasil em 2023

Executivo, atual vice-presidente de marketing, vai substituir Iuri Miranda, que deixa o posto depois de 12 anos e deve ir ao conselho no ano que vem

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2022 | 19h48

O Burger King Brasil anunciou Ariel Grunkraut, atual vice-presidente de marketing, vendas e tecnologia, como seu novo CEO, a partir do ano que vem. O executivo sucederá Iuri Miranda, que, após 12 anos na presidência, deve assumir uma posição no Conselho de Administração em 2023.

Ao Estadão/Broadcast, Grunkraut diz que sua gestão deve focar em três pontos: levar tecnologia aos processos de produção da empresa e aposta no crescimento da bandeira Popeyes em shoppings além dos mercados de São Paulo e do Rio de Janeiro, além de ganhar mais espaço em unidades de rua com o Burger King.

Retomada do crescimento

O executivo assume a posição em um momento de retomada, após os anos mais duros da pandemia. O último resultado da empresa agradou ao mercado e mostrou recuperação de vendas e nas margens de lucro.

“No pré-pandemia, abríamos de 70 a 80 restaurantes todos os anos. Em 2021, abrimos 40. A expectativa é retomar boa parte do ritmo de crescimento”, afirmou Grunkraut. Ele diz que o número de aberturas não deve chegar aos 80 novos pontos no ano, mas que deve ser bem maior do que em 2021.

No quesito de tecnologia, ele acredita que é possível estender os avanços digitais que a empresa usa em suas vendas para os processos de produção. As vendas digitais geraram 33% das vendas da companhia no primeiro trimestre de 2022, um crescimento de 59,3% versus o mesmo período do ano anterior.

Para levar essa modernização para trás do balcão, a rede quer fazer mais lojas sem atendentes e automatizar a gestão de estoques estão entre os planos. Quanto a demissões como fruto dessa automatização, ele afirma que a empresa busca realocar funcionários para as novas posições ligadas a delivery, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.