Buscas da PF n?o apontam envolvimento de Eike

O delegado da Pol?cia Federal respons?vel pela Opera??o Toque de Midas, F?bio Tanura, disse que as buscas realizadas hoje pela PF na casa do empres?rio Eike Batista, no Rio de Janeiro, e em outros 11 endere?os pertencentes a empresas e executivos ligados ao empres?rio em tr?s Estados n?o encontraram provas do envolvimento direto de Eike nas supostas irregularidades.<BR><BR>Todas as empresas do grupo foram alvos das buscas, bem como a resid?ncia do vice-presidente da mineradora MMX, Fl?vio Godinho, bra?o direito de Eike, apontado pela PF como cabe?a da fraude na licita??o, de acordo com Tanura. "S? a an?lise do material apreendido, que come?a na pr?xima semana, vai mostrar o grau de envolvimento de cada um", disse o delegado.<BR><BR>O superintendente da Pol?cia Federal no Amap?, Rui Fontel, declarou haver ind?cios de que v?rias pessoas ligadas ao empres?rio Eike Batista cometeram os crimes de forma??o de quadrilha, fraude em licita??o e corrup??o. Disse que os acusados teriam atuado, por meio de propina e favorecimento pessoal, para beneficiar a MMX, pertencente a Eike, no processo de licita??o da estrada de ferro do Amap?. Em nota, a MMX nega que tenha cometido qualquer tipo de irregularidade ou il?cito nas a??es ligadas ? licita??o, que resultou na outorga da concess?o da estrada de ferro em favor da empresa.<BR><BR>Fontel afirmou, no entanto, que foram encontrados ind?cios de direcionamento da licita??o para que as empresas do grupo MMX vencessem o certame. De acordo com ele, "o direcionamento se daria com o ajuste pr?vio de cl?usulas favor?veis ?s empresas do grupo, principalmente as referentes ? habilita??o dos participantes no procedimento licitat?rio, afastando, dessa forma, demais interessados na concess?o da estrada de ferro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.