Bush vai propor reunião global nos EUA para discutir crise

Presidente americano apresentará proposta para Nicolas Sarkozy e José Manuel Barroso neste sábado

Agências internacionais,

18 de outubro de 2008 | 16h06

O presidente George W. Bush vai propor a realização de uma conferência internacional nos EUA para discutir formas de superar a crise financeira, disse uma alta fonte do governo norte-americano, sem informar a data prevista do encontro. Esta autoridade disse que Bush fará a proposta ao receber neste sábado, 18, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o chefe da Comissão Européia, José Manuel Barroso, em Camp David, Maryland, onde os três discutirão planos para lidar com a mais severa crise econômica global desde a Grande Depressão dos anos 1930.   Veja também: Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    Bush também reassegurou aos americanos que os Estados Unidos ainda são o melhor lugar do mundo para se abrir um negócio. Segundo ele, o povo norte-americano pode ter confiança na recuperação da economia no longo prazo. O presidente americano deu a declaração em seu programa semanal de rádio.    O chefe de Estado disse ainda que os EUA são o destino mais atrativo para investidores ao redor do globo e lar dos mais talentosos e criativos trabalhadores do mundo. O comentário foi feito após a divulgação de novos dados que mostraram que o início da construção de novas casas caíram 6,3% em setembro para o menor nível desde a recessão de 1991.   O indicador de início de construção de novas casas caiu para uma taxa anualizada de 817 mil, queda de 31,1% em relação ao mesmo período do ano passado. O presidente afirmou também que os efeitos do pacote de US$ 700 bilhões injetados na economia norte-americana para sanar os problemas dos bancos levarão mais tempo para aparecer mas "eles serão grandes o suficiente para funcionar."   G8   O diretor-gerente da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-Moon apoiou neste sábado, 18, o pedido de Sarkozy para a realização de um encontro com o objetivo de discutir a crise financeira global e se ofereceu para ser o anfitrião do evento, em Nova York, no início de dezembro.   Ki-Moon encontrou-se com Sarkozy em um seminário onde o líder francês pressionou para um encontro do Grupo dos 8 países industrializados para discutir uma reconstrução do sistema financeiro global.   "Nós dois concordamos que não há tempo a perder e eu concordo plenamente com sua idéia de realizar este fórum no início de dezembro no mais tardar", Ban Ki-Moon escreveu para Sarkozy em uma carta.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAcrise econômica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.