Cacau: indústria e exportadoras fecharão hoje na Costa do Marfim

São Paulo, 8 - Os exportadores, compradores e processadores de cacau irão paralisar suas atividades nesta segunda-feira na Costa do Marfim. O clima segue tenso no país diante das ações das tropas francesas na principal cidade do país Abidjan. A Dow Jones relata que foram vistos cerca de 60 veículos armados e tanques franceses próximos da ponte que liga o sul ao norte da cidade. As tropas francesas e as do governo da Costa do Marfim foram atacadas no fim de semana por milícias ligadas ao movimento Juventude Patriota e outras organizações rebeldes. Um diretor de uma indústria do setor que está em uma base militar francesa disse que as casas foram evacuadas na cidade e apenas uma estrada para o porto é segura, as demais estão tomadas por rebeldes. A maior processadora de cacau em Abidjan teve que paralisar suas máquinas ontem, porque os trabalhadores não chegaram às fábricas, disse uma fonte local. Duas das principais exportadoras do país monitoram seus terminais, que segundo fontes permanecem fechados mas não foram saqueados ou destruídos. As tropas francesas abriram fogo contra jovens rebeldes no Hotel Ivoire, que foi evacuado ontem. Os compradores e exportadores disseram que suas instalações não foram saqueadas porque os rebeldes estão interessados em produtos que eles possam carregar e vender. Um exportador afirmou que os escritórios das exportadoras SDV e SAGA foram saqueados. Segundo ele, não há previsão de quando o setor conseguirá retomar as atividades. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.