Cachaça a peso de diamante

Velho Barreiro lança edição a R$ 212 mil a garrafa

Roberta Scrivano, de O Estado de S. Paulo,

25 de outubro de 2011 | 23h00

Foi-se o tempo em que cachaça era bebida dos menos abastados. A partir de hoje, os consumidores poderão adquirir uma garrafa de 700 ml da tradicional marca Velho Barreiro por R$ 212 mil. A novidade é chamada de Velho Barreiro Diamond e carrega o título de cachaça mais cara do mundo.

A marca é tradicional, mas a nova edição - que é limitada em 60 garrafas - promete inovar o segmento, com a conquista de um novo nicho de mercado: a classe A. "Queremos um status maior para a cachaça", admite o idealizador da ideia, Cesar Rosa, CEO da Velho Barreiro e que também é presidente do Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac).

O preço é alto não por conta do líquido, mas pela garrafa. Além de ter o vidro importado de Paris - porque no Brasil não há tecnologia para fabricar a garrafa no formato que a Velho Barreiro imaginava -, logo abaixo do gargalo há uma peça de prata, coberta de ouro e cravejada com 211 diamantes. "Além da classe A que já está consolidada, temos uma classe emergente pujante que quer consumir esse tipo de produto", diz Rosa.

A bebida, segundo ele, é a melhor que a Velho Barreiro já fez. "Buscamos o que há de melhor no alambique", diz o presidente da companhia. Ele diz que a cachaça fica cinco anos no processo de envelhecimento em alambiques de jequitibá rosa e, depois, em carvalho. "Muita gente vai trocar o uísque", diz o executivo.

Também há a possibilidade de comprar a Velha Barreiro Diamond sem o adorno de joalheria. Neste caso, destinado ao varejo, o preço da garrafa é de R$ 120.

O preço da edição especial é exorbitante. Mas Rosa garante que, em uma pesquisa de mercado entre pessoas da classe A sobre a nova edição da cachaça, dois empresários brasileiros já reservaram as suas.

Mercado externo. A ideia da Velho Barreiro com a edição Diamond também é conquistar mercados internacionais. "Já estamos em mais de 40 países, temos um escritório de lobby nos Estados Unidos, além de uma parceria com a OMC (Organização Mundial do Comércio) para promover o produto cachaça", lembra Rosa.

Com o requinte da Diamond, porém, a Velho Barreiro acredita em uma conquista de mercado mais rápida.

Tudo o que sabemos sobre:
cachaçavelho barreiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.