Cade julga 743 processos em 2010, 38% a mais que em 2009

Cade informou que a maior parte dos casos tratou de fusões e aquisições

Ayr Aliski, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 11h05

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) apresentou balanço das atividades de 2010. O órgão realizou julgamentos de 743 processos entre atos de concentração, processos administrativos e outros casos, um aumento de 38% em relação a 2009. Os números foram apresentados há pouco pelo presidente interino do Cade, conselheiro Fernando Furlan.

Neste ano, 810 novos processos foram distribuídos entre os conselheiros, um aumento de 47% em relação a 2009. Os dados referem-se ao período entre 1º de janeiro e 14 de dezembro de 2010. Dados da sessão do dia 15 de dezembro não foram incluídos nas estatísticas.

O Cade informa que a maior parte dos casos tratou de fusões e aquisições. Um total de 640 deles eram relativos a atos de concentração, sendo que destes, 573 foram aprovados sem restrições, 1 foi reprovado e 25 receberam alguma restrição. Os 41 casos restantes são de não conhecimento ou desistência das partes.

O único caso reprovado foi o pedido da Polimix para a aquisição de ativos da Tupi, relacionados a prestação de serviços de concretagem em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nessa operação, o Cade determinou que a Polimix devolva à Tupi todos os ativos adquiridos. 

Tudo o que sabemos sobre:
CadeFurlanconcorrência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.