Café: CMN eleva limite de financiamento para R$ 140 mil/produtor

Brasília, 29 - O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje a elevação do limite individual de financiamento dos cafeicultores do País. O limite, antes fixado em R$ 100 mil, passa agora para R$ 140 mil, segundo informou o assessor especial para assuntos agrícolas do Ministério da Fazenda, Gerardo Fontelles. Os produtores poderão pegar até R$ 1.440,00 de financiamento por hectare. Segundo Fontelles, esse novo limite valerá por produtor e não por número de propriedades. O CMN também aprovou que os financiamentos individuais para custeio, colheita e estocagem de café não poderão passar dos R$ 140 mil fixados. Isso significa que, no limite, se um produtor tiver obtido um financiamento de R$ 140 mil para custeio da safra, ele só poderá pegar novos recursos para a colheita quando efetuar o pagamento - ou parte dele - do financiamento anterior. "O giro do financiamento terá que respeitar os R$ 140 mil", explicou Fontelles. Ainda dentro da área agrícola, o CMN também decidiu hoje uniformizar a alíquota do prêmio de seguro pago no âmbito do Proagro Mais. Até o mês passado, existiam duas alíquotas: 2% para os produtos com zoneamento já definido e de 2,5% para os que estavam fora. Com a promessa de enquadramento dos produtos, o Conselho, segundo Fontelles, decidiu igualar as alíquotas. O Proagro Mais é uma forma de seguro das operações de custeio dos agricultores vinculados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Agencia Estado,

29 de setembro de 2004 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.