Café: Colômbia estima safra estável mas com receita maior

São Paulo, 23 - Traders e analistas colombianos projetam um excelente período para o café em 2004/05, com produção estável de arábica lavado estável mas aumento da receita a níveis recordes com a queda da oferta mundial. A estimativa é de uma safra entre 11 e 11,5 milhões de sacas. Apesar da previsão de produção altista, o presidente da Associação Nacional de Produtores de Café (Fedecafe) Gabriel Silva disse que espera ligeira redução nas exportações devido à demanda interna e a menor oferta no mercado doméstico. Silva considera que a tendência de aumento deve persistir. "Se o déficit de oferta mundial continuar, teremos dois anos de bons preços", diz Silva. Apesar disso, o lucro dos produtores deve cair por conta da desvalorização do dólar frente à moeda colombiana. Representantes da indústria de café do país disseram que o movimento de queda do dólar poderá custar 200 bilhões de pesos para a indústria local. O plano do Fedecafe para compensar as perdas dos setores é manter estável a produção em 2004/05 e aumentar o comércio de maior valor agregado, como a abertura de mais unidades de lojas de cafés especiais Juan Valdez nos EUA e na Europa. A boa notícia para os colombianos é projeção de queda da safra do Brasil, maior produtor mundial, movimento também esperado em países da América Central e do Vietnã. Para Jorge Lozano, que preside a Associação Nacional dos Exportadores de Café, o declínio na qualidade do café produzido no Brasil também será positivo para a Colômbia, já que o país espera manter a produção de alta qualidade. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2004 | 16h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.