Café: escassez pode levar mercado a alta indesejável, prevê Hafers

São Paulo, 31 - O presidente da Associação Paranaense de Cafeicultores (Apac), Luiz Hafers, afirma que o mercado de café está na iminência de "um indesejável ciclo de grande alta nos preços". Segundo ele, uma forte puxada nos preços atrairia novos plantadores no mundo, levando o mercado a repetir um ciclo de baixa no futuro. Hafers informa que existe dificuldade para se encontrar café no mercado, apesar da atual fase de plena colheita do produto. Em meados deste mês, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou a safra 2004/05 em 38,26 milhões de sacas, "mas não se vê o produto", diz Hafers. Ele considera que a liberação de recursos para comercialização e estocagem do grão pelo governo pode estar contribuindo para o produtor segurar a safra. Além disso, na Nybot, de Nova York, os fundos de investimento com posição comprada (cerca de 20 mil lotes) não deverão se desfazer dessa posição no curto prazo. No entanto, o saldo líquido atual desses participantes já é de cerca de 20 mil lotes vendidos. O presidente da Apac diz, ainda, que o consumo interno de café no Brasil mostra ritmo de crescimento superior ao dos demais países importantes consumidores e deve superar 14 milhões de sacas este ano. Por fim, Hafers observa que a próxima safra 2005/06, que começa a ser colhida em abril do ano que vem, não deve ser superior a 30 milhões de sacas, considerando a característica de bianualidade do café. (Tomas Okuda)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.